Agnaldo Rosas

Nome Completo:   Agnaldo Rosas de Oliveira - PSB

Partido:   PSB

Data de Nascimento:   30 de Junho de 1968

Telefone:   93 35151528

E-mail:   agnaldorosasvereador@gmail.com

Número do Gabinete:   01

Fax:  

Biografia:  

Dr. Agnaldo Rosas de Oliveira - PSB
 Nasci em Altamira, na Rua Primeira de Janeiro, no bairro do Recreio, de parto normal, amparado por uma parteira, como muitos do meu tempo. Meu pai, Napoleão Alves, homem de personalidade forte como o seu nome estar a indica, já é falecido, e foi garimpeiro. Minha mãe, Deusamir Rosas, é hoje aposentada, e sempre foi doméstica. Ele, da Assembléia de Deus; ela, Católica.
Meus irmãos, éramos 15, hoje somos apenas 10. Dos nossos pais herdamos a simplicidade e a honestidade.
Por necessidade de sobrevivência familiar, alguns dos meus irmãos, desde meninos, tiveram de trabalhar com meu pai no garimpo. Outros fomos estudar. Eu estudei o primeiro e segundo graus em escolas públicas (Gondim Lins, Mattias, Sesi e Polivalente).
No ano de 1999, passei no concurso público da Prefeitura de Altamira, e também no Curso de Direito da Universidade Federal do Pará, na cidade de Belém, e tive de tomar uma das mais importantes decisões da minha vida: Assumir a vaga de funcionário concursado na Prefeitura ou ir para Belém estudar na UFPA.
Minha mãe, por pura proteção maternal, me disse que eu não deveria ir para Belém, estudar, porque nós éramos de família pobre, e o curso de Direito era pra quem já tinha na família “doutores”. Eu pensei muito nas suas palavras, e chorei, e disse pra mim, baixinho: “a minha família vai ter o primeiro “doutor”. Fui e conclui o curso de Direito no ano de 2003.
Nunca fomos de pedir ajuda para estranhos, apesar das necessidades, mas para tentar economizar o pouco dinheiro disponível, e sem que minha mãe soubesse, fui pedir a passagem de ida para Belém, de Transbrasiliana, para alguns vereadores da época, e não consegui. Então, comprei minha passagem, e fui.
Para eu me manter durante o Curso, minha mãe sempre mandava um pouco do que sobrava da sua parca aposentadoria, pois o meu pai, Napoleão, já era falecido; e eu complementava com o que ganhava com a revenda de livros para alguns alunos na faculdade. Nos períodos de férias de final de ano, sempre vinha visitar a minha cidade, minha família e meus amigos.
No final do curso, eu e mais dois amigos, depois que fomos aprovados na prova da OAB, alugamos uma sala, na Rua João Balby, no Bairro de Nazaré, em Belém, e fomos advogar. Lá eu permaneci até o ano de 2012, quando resolvi retornar para Altamira. Aqui, eu me casei com a professora Cibele Pedrosa, e continuo advogando, e presto serviços, também, para o escritório “Barbozza Advocacia”.Advogo por que gosto, e sempre respeitei a todos os meus clientes, e sendo muitos deles pessoas humildes e necessitadas.
Também advogo para algumas entidades sociais, e também para a ASSARRIXI – Associação dos Areeiros do Rio Xingu, de forma totalmente voluntária. Esta foi a forma que encontrei para retribuir e contribuir para uma cidade mais humanizada.
No meio de muitos defeitos, sei escutar, e mudar de opinião, e tenho de melhorar na paciência. Tenho, hoje, uma única certeza: Fiz muitos amigos e sinto muito orgulho do caminho que percorri graças ao nosso bondoso Deus.
Fui candidato a um cargo eletivo pela primeira vez no ano passado, concorrendo a vaga de vereador, e fui eleito.
Hoje, eu me sinto PREPARADO PARA REPRESENTAR VOCE, na câmara de vereadores de Altamira.